Se borbulha é champanhe? – Confraria do Vinho
Enólogo, Sommelier e Enófilo: unidos pelo amor ao vinho
5 de outubro de 2018
Vinhos e suas temperaturas: qual a ideal?
10 de outubro de 2018
Exibir tudo

Se borbulha é champanhe?

(Foto Daniel Conzi)

Para os amantes do vinho a resposta é clara! Não necessariamente. O Champagne, o original e o único que pode levar este nome, é um tipo de vinho produzido na região de Champanhe, na França. É um vinho fino que passa por um processo complicado de produção, com muitas etapas até chegar ao resultado final. A fermentação é natural das uvas chardonnay, pinot noir e pinot meuniere. Além disso, são necessários cuidados específicos para ter uma experiência sublime de consumo.

Mas existem outros vinhos que também produzem borbulhas. Espumantes e frisantes caem cada vez mais no gosto dos apreciadores da bebida. Existem diferenças básicas entre elas, que se conhecidos, tornam a degustação ainda mais prazerosa.

Frisantes

O vinho frisante mais conhecido no mundo vem da Itália: o lambrusco. Assim como ele, o Brasil também já tem uma produção da bebida. Proveniente da uva, como o champanhe, o frisante também é produzido naturalmente do processo de fermentação natural, sendo a principal diferença a quantidade de gás. Os frisantes têm a metade do gás carbônico das espumantes. Ele fermenta apenas uma única vez e não produz espuma.

Espumantes

O espumante caiu na graça dos amantes do vinho no Brasil depois do aumento da oferta de rótulos nacionais. Eles são vinhos que também têm seus gás carbônico elaborado a partir do processo de fermentação natural. A diferença é que o gás é oriundo da segunda fermentação de um vinho que já estava fermentado, o que traz mais gás à bebida, sem que haja inserção de gás artificial. É produzido com uvas próprias para a produção de vinhos finos.

Além do Brasil, quase todos os outros países que têm tradição na produção de vinho também produzem espumantes, a maioria na França. Mas outras regiões também têm tradição, como Vêneto na Itália, que produz o Prosecco a partir da uva glera. Piemonte, que deu origem ao Moscatel elaborado pelo método Asti, um vinho espumante mais adocicado, com baixo teor alcoólico, elaborado com a uva moscato. A Alemanha deu origem ao vinho Sekt, produzido em grande parte pelo método Charmat. E a Espanha produz o Cavas, na região da Catalunha e de Penedés, que tem um gosto adocicado especial por conta da produção de uvas em costas marítimas. Além deles, a Argentina também vem ousando na produção de espumantes.

E para apreciar bons vinhos e espumantes e aprender mais sobre a bebida, vale ficar atento à Confraria do Vinho Itapema 2018, que estreou em junho e terá mais 2 edições até novembro, comemorando 10 anos de evento. O evento tem patrocínio da Decanter, Bellacatarina, Acqualive SC e Grupo Geração, com apoio da Galeria de Arte Luciano Martins, da Flor de Liz e parceria com a Alameda Casa Rosa.

Os ingressos para a quinta edição são limitados e estão disponíveis pelo site Blueticket e também nas lojas físicas da Blueticket e da Siqlo, no Beiramar Shopping, na Bellacatarina e na Decanter Florianópolis. A Alameda Casa Rosa conta com estacionamento próprio, para maior conforto dos participantes.

+ Próximas datas da Confraria do Vinho Itapema 2018

-> 25 de outubro – 5ª edição

-> 29 de novembro – 6ª edição

Horário de início: 20h

Local: Alameda Casa Rosa (Rod. Admar Gonzaga, 3.401 – Itacorubi, Florianópolis)

Quanto: R$ 180,00

Ingressos: pelo site Blueticket e também nos pontos de venda: loja física da Blueticket (Beiramar Shopping), Siqlo (Beiramar Shopping), Bellacatarina (Av. Beiramar Norte, 5.036) e Decanter (R. Herman Blumenau, 207)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *